O Sonho que marcou a cultura brasileira

Primeira manifestação artística autenticamente brasileira a conquistar ouvidos e corações mundo afora nasceu do sonho de um grupo de jovens e talentosos músicos

Lívia Pinho

Era o ano de 1958 e o Brasil acabava de conquistar sua primeira Copa do Mundo de Futebol. Juscelino Kubitschek construía Brasília enquanto transformava a indústria e a economia brasileiras. O país todo experimentava uma efervescência cultural nunca antes vivida. Da cultura à política, tudo dava certo.

Foi quando a inconfundível batida do violão de João Gilberto se fez ouvir. O ritmo, que era – e ainda é – uma das muitas maneiras de se fazer samba, foi logo conquistando o cenário da música popular brasileira e reunindo adeptos como Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Carlos Lyra e Roberto Menescal.

A turma toda se reunia em Copacabana, no apartamento do pai de Nara Leão, que mais tarde se tornaria a musa da Bossa Nova. Do apartamento, ao Beco das Garrafas e até o Itamaraty, a bossa brasileira contagiou uma multidão de jovens que queria tocar e cantar como os gênios que eternizaram o novo ritmo.

A fama internacional começou com o show no Carnegie Hall, em Nova York, em 1962. Reuniram-se no palco, entre outros, Tom Jobim, João Gilberto, Carlos Lyra, Sérgio Mendes e Roberto Menescal. Foi o produtor Sydney Frey o responsável por esse encontro épico que marcaria a trajetória da – ainda nova – Bossa.

Os grandes nomes não estavam apenas no palco. A platéia, composta por Miles Davis, Peggy Lee, Tony Bennett, Herbie Mann, entre outros, não foi capaz, porém, de desafinar os mestres João Gilberto e Tom Jobim, que fecharam o encontro em grande estilo. Cantando “Corcovado” e “Desafinado”, davam, ali, o primeiro passo da bossa nova rumo ao estrelato internacional.

Depois do show, gravadoras norte-americanas assinaram contratos com alguns dos artistas. Tom Jobim e João Gilberto gravaram discos que venderam milhões de cópias e arrebataram, juntos, cinco Grammy’s – principal prêmio da música americana. A versão em inglês de “Garota de Ipanema” é considerada a música mais tocada na história, em diferentes línguas e versões. Na lista das canções mais gravadas de todos os tempos, “The girl from Ipanema” ocupa a décima posição.

Daí pra frente, o que começou como o sonho de um grupo de amigos em um apartamento da zona sul do Rio de Janeiro conquistou o mundo. Dos EUA à Paris, de Sidney à Tóquio, em qualquer lugar do mundo, ao adentrar um restaurante, uma loja ou simplesmente ao ligar o rádio pode-se ouvir a inconfundível batida.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: