BLOG 3 – RC 2-2008

novembro 11, 2008

Da redação

O jornal INTERCAM na sua 3ª edição trata de temas que envolvem a área de publicidade e propaganda, passando pelas formas tradicionais até as mais novas. Essa importante área da comunicação social que passa por consideráveis mudanças, foi objeto de várias matérias elaboradas pela turma do 3º período do Curso de Comunicação Social, da Universidade Candido Mendes, Niterói.


A Arte de Pregoar

novembro 11, 2008

Cíntia Cândido e Nathália Moraes

Ao falar em publicidade nem todos se lembram, ou dão a devida importância, à uma forma muito popular, eficaz e antiga de anunciar: o pregão. Através de rimas, versos, músicas e gestos, os camelôs disputam a atenção de possíveis clientes e tentam de várias maneiras vender seus produtos.


Com muita irreverência e criatividade os pregoeiros vêm se multiplicando ao passar dos anos. Usando frases conhecidas como “Moça bonita não paga, mas também não leva!” ou até mesmo “Chumbinho mata o rato, seca o rato, coitado do rato!” atraem os olhares mais distraídos e fazem de simples anúncios verdadeiros shows.


Não pode se negar que se tratam de verdadeiros publicitários que nunca frequentaram a faculdade e tantas vezes nem mesmo a escola, mas que conseguem com simplicidade atingir seu objetivo maior que é vender.

O trabalho dos pregoeiros está presente em todo Brasil. Em lugares como São Luis do Maranhão, por exemplo, essa prática é muito forte e reconhecida como parte da cultura local sendo constantemente tema de trabalhos escolares. Os camelôs também fazem parte da rotina dos moradores de Niterói, logo ao amanhecer, nos arredores das barcas ,podemos ouvir pregões de várias formas. São bolsas, barras de chocolate e café da manhã que são anunciados e clientes que são disputados literalmente “no grito”. Dentre tantas ofertas uma chama muito a atenção. Um vendedor de balas que incansavelmente anuncia “Bala Halls, Bala Halls ! Duas por um rêu!”. Entretanto, o que chama atenção não é seu português “errado”, mas seu carisma que faz com que a modesta barraca seja a mais movimentada e sua força de vontade, e também necessidade, que o faz estar de pé e trabalhando às 6h com uma disposição invejável.


Fatos como esse só confirmam que nessa forma tão antiga de publicidade a criatividade,  o carisma e o bom humor  são as principais características que fazem da mais simples forma de anunciar  uma arte, a arte de pregoar.

c1

O camelô Hamilton mostra produtos a cliente na Rua 25 de Março, Centro de São Paulo


Publicidade na voz do povo

novembro 11, 2008

Um meio eficaz e econômico de promover serviços e produtos

Paula Corrêa

Ao pensar em publicidade listam-se algumas ações necessárias para o seu sucesso. As campanhas publicitárias, por exemplo, se tornaram essenciais para o mundo dos negócios, com a tecnologia disponível no mercado, a dinâmica e diversidade fazem parte dessas “composições artísticas”. É importante destacar que além das propagandas que são mais conhecidas e vistas pela sociedade, a propaganda “boca – a – boca” é utilizada em pequenos negócios e empresas tendo grande êxito.


Antes da era do rádio e da TV, os comerciantes utilizavam as relações pessoais como meio de propagar seus serviços e produtos. As relações de amizade levavam a uma credibilidade no mercado, e por conseqüência uma identificação dos consumidores com os produtos e serviços oferecidos.


O Marketing de Rede pôde se desenvolver dessa maneira. Hoje, com a escassez de empregos disponíveis, cada vez mais pessoas procuram ter seus próprios negócios. Não depender de alguém, não ser empregado, funcionário, ou até mesmo ter uma micro-empresa, torna-se o objetivo e uma solução para melhores condições de vida para algumas pessoas.


A projeção que esse tipo de marketing tem tido, é resultado de uma busca. Novas técnicas vêm sendo aprimoradas, dando oportunidade para novos empresários terem seus próprios negócios.


No livro de Malcolm Gladwell, “O ponto de Desequilíbrio”, com o sub-tema: “Pequenas coisas fazem uma grande diferença.” O autor coloca em questão o porquê de algumas idéias e produtos propagarem-se com tanta agilidade e facilidade e outros não. E assim ele desenvolve pensamentos sobre os relacionamentos cotidianos, e como que eles podem influenciar a vida uns dos outros.


Ao relacionar um grupo de amigos é possível identificar pessoas comuns em ambos os relacionamentos e o grau de amizade existente. Ao propagar idéias e informações, os “famosos” contatos são acionados. Quem não conhece alguém que já foi empregado por meio dessas pessoas em comum? Essas pessoas para o autor tornam-se peça chave para um bom desenvolvimento profissional, ou seja, fazem parte do Marketing de Rede.


Propaganda Política

novembro 11, 2008

Daniele Barbosa

Já que, nessa nova edição do INTERCAM abordam-se formas diferentes de publicidade e propaganda, acredito ser uma oportunidade para demonstrar minha curiosidade a respeito da propaganda política. Nos últimos dois meses todas as cidades do país sofreram mudanças com novas escolhas de prefeitos e vereadores, ou apenas permaneceram como estavam, reelegendo candidatos. O mais intrigante é a forma como grande parte desses políticos conduzem suas campanhas. A disputa, que devia girar em torno dos cargos, parece ser para sujar as ruas com panfletos, poluir visualmente as cidades com cartazes colados, muitas vezes, onde a legislação proíbe e engarrafar o trânsito com passeatas. Além da desconfiança natural que tenho com qualquer político, fica mais difícil ainda me decidir por um, quando, todos eles, antes mesmo de qualquer resultado, prejudicam a população.

Em Niterói, cidade afortunada (ou não) devido ao suficiente primeiro turno, a disputa para prefeito entre Jorge Roberto Silveira (PDT) e Rodrigo Neves (PT), nas urnas, não foi muito acirrada. O primeiro venceu com considerável vantagem. Mas no quesito Campanha Eleitoral Mais Insuportável os dois ficaram ali, quase no empate técnico. O já eleito, pedetista, nas categorias Trabalho Dobrado pro Gari e Samba Enredo Onipresente teve tanto sucesso quanto o petista na tarefa – não tão árdua para cidade – de congestionar, quase todo fim de semana, o trânsito.

Igual a sua música, que virou até toque de celular, era o rosto do candidato eleito, estava em todo lugar. Não precisava procurar muito para vê-lo nos chãos das ruas. Rodrigo Neves, como se não bastasse para o niteroiense sofrer de segunda a sexta com engarrafamento, tinha predileção por parar o trânsito nos fins de semana com carreatas de veículos tocando aquele forrozinho (O Candidato do Lula), diga-se de passagem, bem fraquinho.

Mas um fato específico encerrou a competição e deu a vitória a Jorge Roberto também no quesito “irregularidade”. Parece que ele se esqueceu ser proibido a exibição de cartazes fixos de propaganda política – em local público – em época de eleição. Em uma tarde de sábado, na Praia de Icaraí, cavaletes, cada um com um quadro (grande) pintado com uma letra, formavam o nome do candidato. O responsável no local afirmou serem obras de arte doadas, cujo dinheiro da venda estava destinado a uma instituição carente. Pode até ser, mas tinha que estar escrito em bom tamanho o nome do político? Por que não I C A R A Í? Por ter menos letras, e conseqüentemente, arrecadaria menos dinheiro? Então, sei lá, pintasse N I T E R Ó I também. Enfim…


EMPENA E FRONT-LIGHT: SOLUÇÕES CRIATIVAS PARA PUBLICIDADE

novembro 11, 2008

Diariamente a publicidade vem criando cada vez mais soluções criativas para seus clientes através de Empenas, Front-lights e outros meios, com o objetivo não apenas de atender a expectativa visual (se todos dados do produto ou serviço estão certos, se o visual está impactante, beleza da empena ou frontlight) dos clientes, mas também surpreender o público-alvo em questão. Trazendo benefícios para o vendedor do produto ou serviço, a agência de publicidade contratada e o “alvo” que irá adquirir o produto ou serviço.

Confira abaixo o que é empena, usada com criatividade para solucionar problemas dos anunciantes de produtos e serviços, necessitando inovar a cada dia.


EMPENA

j1São grandes painéis de tamanhos variados, impressos em telas laminadas. Possuem iluminação frontal inferior e célula fotoelétrica, são fixadas em estruturas metálicas nas laterais dos edifícios, conforme a necessidade do cliente e o tipo de peça desenvolvida. Os “empenas” destacam-se na paisagem das grandes cidades pelo seu tamanho, beleza e criatividade. Causando assim nos “targets” dos clientes grande impacto visual. Esses painéis são postos nas cidades pois é aonde tem maior alcance sendo assim atingindo uma grande quantidade pessoas.
Propaganda da PHILIPS na lateral do edifício, onde o elevador faz o papel de aparelho de depilação

Curiosidade: o que é célula fotoelétrica? Entre no site abaixo e fique por dentro

http://www.educamor.com.br/invencoes/celulafotoeletrica.htm

Frontlight

A seguir o frontlight, outro meio utilizado para a publicidade, que cria soluções inteligentes para as grandes, médias e pequenas empresas.

Frontlight

j2Trata-se de um painel metálico de tamanho variado, que se caracteriza pela posição e tipo de iluminação que vem de frente do painel e também é equipado com célula fotoelétrica. É considerada uma ótima forma de divulgação de mídia exterior (veiculações em ambiente urbano), valoriza o anúncio devido ao alto grau de iluminação e visualização. São posicionados nas cidades para atingir um público maior e também nas rodovias mais utilizadas pelos “targets”.

Solução inteligente e criativa da empresa de seguros norte-americana

Nationwide Insurance:

j3


Busdoor – A mídia em movimento

novembro 11, 2008

Rodrigo Felipe Ribeiro

Ao contrário da mídia estática como o outdoor, o Busdoor mostra seu diferencial projetando em movimento a sua mensagem. Essa mídia não permite que o consumidor evite o seu contato, pois quando menos se espera, ele acaba se deparando com uma dessas peças publicitárias móveis. O Busdoor é uma mídia que possui uma relação custo/benefício relativamente boa em questões de mídias externas, além de ser um meio dinâmico para projetar uma marca.

Com grandes números de carros, ônibus, motos, pedestres circulando em meio às avenidas das cidades, o Busdoor vem com força total a fim de penetrar suas publicações de produtos, serviços, empresas aos que com elas se deparam. Seu público específico acaba sendo os motoristas e pedestres. O cliente tem o poder de segmentar seu público referencial escolhendo em que rota, local, deseja veicular sua marca, pois ele sabe qual é o respectivo itinerário do seu público-alvo. Daí fica simples e direta a explanação de sua marca.

Em observação a esta mídia em funcionamento, se vê propagandas direcionadas a seu público referencial, mas que são observadas por todos ao seu alcance. Exemplo: Na Grande Niterói-RJ, um topiqueiro em sua rotina normal de trabalho, para no sinal atrás de um ônibus e percebe uma propaganda do Serviço Social do Transporte(SEST) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte(SENAT) que diz: “Seja motorista de ônibus, Saia da INFORMALIDADE. Vale a pena!” publicando um curso formador de motoristas de ônibus. Essa publicidade será vista por todos no trânsito, mas afetará apenas aqueles que estão trabalhando no ramo rodoviário de Niterói-RJ sem suas específicas garantias trabalhista. Segmentando assim, seu público-alvo onde já se vê que é o próprio topiqueiro.

untitled-1

Busdoor do Sest Senat

Nas grandes cidades a movimentação do trânsito é constante, as rodovias não param. O Busdoor se encaixa como uma luva nesse eixo, pois emite sua mensagem de forma inteligente e perceptível a seu público-alvo, afetando também outras pessoas em contato direto com esta mídia.

Pesquisas recentes comprovam que o Busdoor constitui uma das mídias mais eficientes entre as existentes no mercado publicitário, oferecendo índices de “recall” (lembrança) superiores até mesmo aos da TV, a um custo infinitamente menor. Ele é visualizado por cerca de 800 mil pessoas que utilizam diariamente o sistema de transporte urbano. O seu custo pode ser 50% menor que os outros meios de comunicação. Cerca de 73% da população utiliza ônibus como meio de transporte. Através desses dados podemos ver o poder que esta mídia tem.


EXPEDIENTE

novembro 11, 2008

Universidade Candido Mendes – Curso de Comunicação Social

Reitor:Candido Mendes

Pró-Reitor de Coordenação e Expansão: Prof. Alexandre Gazé

Diretor do Campus Niterói: Prof. José Carlos Oliveira

Supervisor de Produção de Jornalismo Alexandre Gazé Filho

Coordenação do Curso de Comunicação Social: Karen Calixto

Professor Orientador: Marcos Antonio de Azevedo Monteiro

Orientador do Planejamento Gráfico: Marcelo Fonseca Alves

Diagramadora: Daniele Barbosa (aluna do 3º período do Curso de Comunicação Social)

As matérias foram elaboradas pela turma de Redação em Comunicação 2, do Curso de Comunicação Social